Arquivo do autor:Obscom

Mais uma edição do Seminário OBSCOM/CEPOS acontece na UFS

por Irla Rocha

Durante os dias 22 e 23 de outubro o Observatório de Economia e Comunicação da Universidade Federal de Sergipe – OBSCOM/UFS, realizou o XIV Seminário OBSCOM/CEPOS no auditório da ADUFS (Associação dos docentes da Universidade Federal de Sergipe).

As mesas e palestras do seminário versaram em torno do tema “Comunicação e Marxismo” que além de discutir o papel no campo da comunicação da Economia Política da Comunicação e da Cultura (EPC), também proporcionaram uma troca de experiências e leituras sobre Economia Política, Epistemologia da Comunicação, Práxis, Cultura, Criatividade, Comunicação e Trabalho.

Entre os presentes estiveram pesquisadores do Brasil e de outros países da América do Sul, entre eles: Erik Torrico (Bolívia), César Bolaño (UFS), Cesare Galvan (Centro Josué de Castro), Ruy Sardinha Lopes (USP), Alain Herscovici (UFES), Ángel Páez (Venezuela), Maurício Herrera (Colômbia) e Verlane Aragão (UFS).

Sessões de comunicações

Uma das grandes surpresas desta edição do Seminário Obscom/UFS foi a grande participação de pesquisadores com envio de resumos expandidos. Foram realizadas quatro sessões de comunicação na tarde de sexta, 23, que colocaram em debate: cultura, comunicação, cinema, televisão, políticas públicas entre outros mercados.

Em breve estarão disponíveis no site do OBSCOM os resumos aceitos para as comunicações. É importante pontuar que os trabalhos apresentados são resultantes de projetos de pesquisa em andamento ou concluídos (teses, dissertações, monografias, entre outros) no seminário.

Biblioteca Prof Valério Brittos no PPGCOM/UFS

Entre a intensa programação acadêmica do Seminário, a inauguração da “Biblioteca Setorial Prof. Dr. Valério Cruz Brittos” foi um dos momentos mais marcantes do Seminário.

Grande pesquisador da comunicação e, principalmente, da Economia Política da Comunicação e da Cultura, o professor Dr. Valério Brittos foi homenageado pelo Obscom e Programa de Pós-Graduação em Comunicação (UFS) como o nome da biblioteca. Nela estão disponíveis para consulta e pesquisa o acervo pessoal do professor e grande parte da sua obra acadêmica.

A biblioteca ainda encontra-se em fase de catalogação do acervo, no entanto a data do seminário é significativa para esta homenagem, uma vez que a troca de experiências entre o professor Valério Brittos e seu grupo de pesquisa – CEPOS (Comunicação, Economia e Sociedade) e o OBSCOM eram constantes.

Lançamento de publicações

Durante o XIV Seminário OBSCOM foram lançados os recentes trabalhos do professor Dr. César Bolaño São eles: Campo aberto: para uma crítica da epistemologia da comunicação (EDISE), O conceito de cultura em Celso Furtado (EDUFBA) e Cultura e Desenvolvimento: Reflexões à luz de Furtado (EDUFBA).

Ainda entre os lançamentos temos o E-book com a compilação dos trabalhos apresentados no XIII Seminário OBSCOM/CEPOS e I Fórum Regional Alaic Cone Sul sob organização de Verlane Aragão, Joanne Mota e Bruna Távora. Leia o E-book: http://www.youblisher.com/p/1247615-Ebook-OBSCOM-2015/.

Pesquisa sobre Economia da Música em Sergipe, do OBSCOM, é publicada em livro da FAPITEC/SE

por Irla Rocha

Fruto do trabalho desenvolvido pelo Observatório da Economia e da Comunicação (OBSCOM), a pesquisa sobre Economia da Música conquista mais um espaço acadêmico: a publicação do artigo “Economia Política da Música em Sergipe: trabalho, tecnologia e mercado” no primeiro livro da série Documentos – Pesquisa em Políticas Públicas no Estado de Sergipe, editado pela Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado (FAPITEC/SE) no final do ano passado, 2014.

A pesquisa detalhada no artigo

A pesquisa “Economia Política da Música em Sergipe: trabalho, tecnologia e mercado” faz parte das atividades do Observatório de Economia e Comunicação da Universidade Federal de Sergipe (OBSCOM/UFS). O artigo em questão apresenta os resultados gerais do estudo desenvolvido entre 2010 e 2013, através de bolsas de Iniciação Científica (PIBIC) da Universidade Federal de Sergipe, e do Edital FAPITEC/SE/FUNTEC No. 13/2011, de Políticas Públicas.

Além do intuito de trazer à baila as informações relativas à pesquisa desenvolvida, o texto ganha vida devido o seu posicionamento crítico sobre os artistas e as políticas públicas envolvidas na cadeia produtiva da música. Longe do discurso falacioso da democratização proporcionada pela digitalização da música, o artigo propõe uma reflexão sobre o mercado da música em Sergipe pelo viés da Economia da Cultura, Economia da Música e da Economia Política da Comunicação e da Cultura. Os dados sobre a evolução da indústria da música fonográfica no mundo e no Brasil vêm a corroborar para uma compreensão da música feita em Sergipe e as suas relações com as dinâmicas do mercado da música no país.

Um dos pontos altos do artigo está na rica introdução que parte do debate amplo sobre a música na perspectiva da Economia Política da Música que prepara o terreno para a recepção do leitor sobre os materiais e métodos utilizados durante a execução e o resultado da pesquisa. Será nestas sessões, respectivamente, que teremos um mapa de como foi realizada a pesquisa, dados coletados através de entrevistas e aplicação de questionários, e uma discussão crítica a partir da cadeia produtiva da música como instrumento analítico, que traçaram com profundidade o perfil do artista sergipano. Entre os resultados marcantes temos:

  • A elaboração do Catálogo da Música de Sergipe (2013), que apresenta dados sistematizados e consolidados pela pesquisa, registrando 403 agentes da cadeia produtiva da música do estado;
  • Indústrias de instrumentos musicais e de equipamentos de som e gravação são pontos frágeis da cadeia;
  • Inexistência de canais de financiamento, com crédito específico para a área musical, disponíveis para os artistas;
  • A presença do curso de Música, da UFS, corrobora positivamente para uma mudança qualitativa;
  • Uma pungente e diversificada produção autoral;
  • Ainda que as tecnologias digitais facilitem o processo fonográfico e a internet ajude na divulgação do conteúdo musical, as principais vias para que essa música chegue ao público estão dominadas pelo poder público, pelos meios de comunicação de massa tradicionais e pelos grandes produtores locais;
  • Cerca de 2/3 dos artistas que responderam ao questionário possuem CD que funciona como material de divulgação do seu trabalho. Contudo, destes apenas 10% foram lançados por selos ou gravadoras, caracterizando uma produção autoral de 69%;
  • Apesar de a maioria dos artistas sergipanos estarem na internet, não apresentam um registro de obtenção de renda pelas faixas na rede mundial de computadores;
  • Boa parte dos artistas assume a prerrogativa de produção, articulando e negociando shows e cachês;
  • Poucos fazem uso dos editais públicos para participação em show;
  • Demonstraram certa dispersão, pois mais de 70% responderam não terem vinculação a entidade de fóruns, coletivos ou afins;
  • O show constitui-se como a principal fonte de receita dos artistas.

O livro

De acordo com a FAPITEC, o livro reúne uma coletânea de artigos que versam sobre os resultados dos 22 projetos contratados pelos primeiro edital 13/2011 do Programa de Apoio e Desenvolvimento de Políticas Públicas em Sergipe (NAPs). Tais editais resultaram num investimento em R$ 581.665,39 e em 32 bolsas de Inovação e Tecnologia (PIBITI).

O texto de apresentação da obra afirma que a publicação destina-se a divulgar e disseminar os resultados obtidos, e possibilitar o aprimoramento da formulação de políticas públicas pela administração estadual, ressaltando a importância da ciência para o desenvolvimento de Sergipe.

20150515_114639

 

Resultados de pesquisa sobre a cadeia produtiva da música são apresentados

Na semana de 18 a 22 de novembro a FAPITEC/SE promove o Seminário de Avaliação Final dos projetos aprovados no Edital no. 13/2011 de Políticas Públicas.

O seminário acontece na Sociedade SEMEAR e na tarde do dia 20 estarão em realce os projetos vinculados ao Núcleo de Análises e Pesquisa da Secretaria de Estado da Cultura (NAPEC).

Confira a programação:

PROGRAMA DE APOIO E DESENVOLVIMENTO DE POLÍTICAS PÚBLICAS PARA O ESTADO DE SERGIPE

SEMINÁRIO DE AVALIAÇÃO FINAL

EDITAL Nº 13/2011 – NAP’s

Data: 20 de novembro de 2013

Local: Auditório da Sociedade SEMEAR

(Rua Vila Cristina, 148, Bairro São José, Aracaju/Se)

14h00 às 14h30 – Projeto “Quilombolas: aratu, história e cultura no interior do Sergipe”.

Coordenador: Dinamara Garcia Fedens

14h30 às 14h40 – AVALIAÇÃO/QUESTIONAMENTOS

14h40 às 15h10 – Projeto “A musealização do patrimônio arqueológico em Sergipe: um estudo sobre endosso institucional e gestão de acervos coletados (1970-2010)”.

Coordenador: Elizabete de Castro Mendonça

15h10 às 15h20 – AVALIAÇÃO/QUESTIONAMENTOS

15h20 às 15h50 – Projeto “Rede Integrada de Pontos de Cultura de Sergipe”.

Coordenador: Manuela Ramos da Silva

15h50 às 16h00 – AVALIAÇÃO/QUESTIONAMENTOS

16h00 às 16h30 – Projeto “Cooperação descentralizada na grande Aracaju”.

Coordenador: Tereza Cristina Nascimento França

16h30 às 16h40 – AVALIAÇÃO/QUESTIONAMENTOS

16h40 às 17h10 – Projeto “Economia Política da Música em Sergipe: trabalho, tecnologia e mercado”.

Coordenador: Verlane Aragão Santos

17h10 às 17h20 – AVALIAÇÃO/QUESTIONAMENTOS

17h20 às 17h50 – DEBATES

17h50 – ENCERRAMENTO

O QUE É O PROGRAMA NAP

O programa é fruto da parceria entre a FAPITEC/SE e as Secretarias de Estado. É uma oportunidade relevante de atuação em conjunto no sentido de proporcionar a análise, formulação e implementação de políticas públicas que venham atender às demandas sociais e institucionais.

Esperam-se especialmente dos NAPs a identificação, elaboração e formulação de demandas, adequadas em linhas temáticas de cunho estratégico ao Estado, as quais possam através do desenvolvimento de projetos de C,T&I serem objetos de estudo e pesquisa, cujos resultados esclareçam e contribuam para solução dos problemas. Além disso, os NAPs representam uma importante instancia de acompanhamento durante o processo de seleção dos projetos e de monitoramento e absorção dos resultados.

OBJETIVOS DO SEMINÁRIO

Apresentar à sociedade sergipana os resultados dos projetos que visam subsidiar a formulação, a avaliação e a orientação de políticas públicas, em linhas temáticas específicas de interesse prioritário para entidades da Administração Pública Estadual;

Avaliar os resultados finais dos projetos de pesquisas fomentados com recursos do Edital FAPITEC/SE/FUNTEC N° 13/2011 – NAP’s;

Sensibilizar as entidades da administração pública estadual e colher subsídios para a estruturação do Programa no Estado de Sergipe.

PÚBLICO-ALVO

Gestores e técnicos das Secretarias Estaduais e Municipais;

Professores, pesquisadores e estudantes;

Representantes das Instituições de Ensino e Pesquisa;

Sociedade em geral.

Catálogo é distribuído no estado e nacionalmente

O Catálogo da Música de Sergipe 2013, lançado em setembro, está sendo distribuído pelo OBSCOM, em parceria com a SECULT e o SESC. A Secretaria de Estado da Cultura comprometeu-se em fazer a entrega de exemplares do catálogo nos municípios sergipanos, junto às suas secretarias e/ou fundações de cultura. Segundo Orlando Júnior, Coordenador de Música e Audiovisual, a distribuição também se estenderá às secretarias de cultura das capitais de todos os estados brasileiros. O SESC já promoveu, por sua vez, o envio para suas unidades de cultura no estado. Fábio Oliveira (Técnico em Música do SESC) informou que ainda este mês o Catálogo será entregue no Departamento Nacional no Rio de Janeiro.

Até o momento, já foram entregues exemplares no Instituto Banese, permitindo que o material esteja disponível para turistas e visitantes do Museu da Gente Sergipana; como também na FUNCAJU, no total de dez unidades, e em casas de show de Aracaju.

O Catálogo da Música de Sergipe 2013 está disponível para download, http://obscom.com.br/musica/wp-content/uploads/2013/10/catalogo-da-musica-de-sergipe-2013.pdf, e a plataforma on line já voltou a receber novos cadastros.

Ver também: http://obscom.com.br/musica/2013/10/29/o-catalogo-on-line-volta-a-receber-novos-cadastros/.

O Catálogo on line volta a receber novos cadastros

A plataforma on line do Catálogo da Música de Sergipe já está liberada para receber novos cadastros, como também para a atualização por aqueles que já estão cadastrados.

A novidade é que poderão também se cadastrar Engenheiros de Som, Jornalistas, Produtores Musicais e Técnicos de Gravação, na categoria “Profissionais e Técnicos”. Foi incluído também, para aquelas empresas que atuam nas duas áreas, o ramo ‘Estúdios de Ensaio e Gravação’, na categoria “Empresas e Fornecedores”.

Todos que se cadastrarem comporão de imediato o Catálogo on line e figurarão na futura versão impressa.

A edição 2013 já está disponível para download no Portal EPM, no link Publicações, http://obscom.com.br/musica/wp-content/uploads/2013/10/catalogo-da-musica-de-sergipe-2013.pdf.

Novos cadastros no Catálogo da Música de Sergipe

Após o lançamento do Catálogo da Música de Sergipe 2013, no último dia 18 de setembro, no Museu da Gente Sergipana, a plataforma on line continuará recebendo novos cadastros, que integrarão de imediato a versão virtual do catálogo.

O acesso encontra-se temporariamente suspenso, em virtude de ajustes que visam adequar os parâmetros e mecanismos de preenchimento e busca de informações dos agentes cadastrados.

Brevemente, o serviço estará disponível, como também o arquivo da versão impressa – o Catálogo da Música de Sergipe 2013 -, para consulta e download.

Será possível ademais, aos já cadastrados, realizar alterações e atualizações em seus perfis.

 

Lançamento do Catálogo da Música de Sergipe 2013

Acontece na próxima quarta-feira, 18 de setembro, o lançamento do Catálogo da Música de Sergipe 2013. A publicação é um dos resultados da pesquisa sobre a cadeia produtiva da música realizada pelo Observatório de Economia e Comunicação da Universidade Federal de Sergipe (OBSCOM/UFS); apresenta 403 agentes do setor, entre artistas, profissionais e técnicos, além de estúdios de gravação, casas de show, escolas de música, entre outros que conformam a cena musical de Aracaju e de cidades do interior do estado.  A solenidade tem início às 18h no Museu da Gente Sergipana.

Fruto da pesquisa “Economia Política da Música em Sergipe: trabalho, tecnologia e mercado”, o catálogo compõe parte do plano de trabalho que analisa a dinâmica do mercado da música, a relação da produção musical com as tecnologias e as estratégias de negócios utilizadas pelos trabalhadores culturais. A catalogação abrange 22 municípios sergipanos e teve apoio do Edital de Políticas Públicas da Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe (FAPITEC/SE).

O Catálogo da Música de Sergipe 2013 será distribuído gratuitamente para contratantes, como prefeituras, casas de show, e outros interessados no mercado da música do estado. Tem como função servir de instrumento de (re)conhecimento de uma importante área cultural e econômica e, ainda, de fonte de dados para pesquisadores e demais interessados no campo de estudo da economia da música.

O que: Lançamento do Catálogo da Música de Sergipe 2013

Quando: 18 de setembro, às 18hcartaz_CMS2013

Onde: Museu da Gente Sergipana, Av. Ivo do Prado, 398, Centro – Aracaju/SE

Prazo para participar do Catálogo da Música de Sergipe 2013 termina em 20 de julho

Músicos, artistas em carreira solo, bandas, técnicos de som, iluminação, professores de música, entidades e coletivos, como empresas e demais fornecedores voltados para a cena musical do estado tem até 20 de julho próximo para realizar seu cadastro e fazer parte do Catálogo da Música de Sergipe, edição 2013.

O Catálogo é um produto da pesquisa “Economia Política da Música em Sergipe: trabalho, tecnologia e mercado”, realizada pelo OBSCOM/UFS e terá sua versão impressa lançada em setembro. O objetivo é promover os agentes que atuam na cadeia produtiva da música no estado, dando-lhes visibilidade local, nacional e internacional. O foco, contudo, é o próprio mercado sergipano, já que seus exemplares serão distribuídos prioritariamente junto aos grandes contratantes, secretarias municipais de cultura e empresários locais e regionais.

Para realizar o cadastro é preciso acessar o endereço eletrônico http://obscom.com.br/musica/. Há duas opções para chegar ao cadastro, clicando na logo do Catálogo, em destaque, ou ainda na indicação em laranja, logo abaixo dos ícones das categorias elencadas, que correspondem a sete: artistas (solo/banda); empresas e fornecedores; Grupos e Organizações; escolas e profissionais de ensino; festivais e casas de show; produtores; e, profissionais e técnicos.

A partir daí, encontrará as informações sobre o que é o catálogo e como se cadastrar. O(a) interessado(a) terá uma conta própria de acesso, será responsável e terá o controle sobre os dados prestados, podendo a qualquer hora fazer atualizações e alterações. No caso da versão impressa, correspondente a 2013, o cadastro, bem como as últimas mudanças, deverá ser realizado até a data-limite de 20 de julho.

Cada categoria contempla uma atividade ou um conjunto delas. Por exemplo, técnicos de som se cadastram na categoria ‘profissionais e técnicos’. Como também fotógrafos, designers, luthiers, entre outros. Incluem-se nesta categoria, ainda, músicos instrumentistas, que atuam sob contratação em bandas de apoio.

Estúdios de ensaio, de gravação, fábricas, como lojas de comercialização, de instrumentos musicais, entre treze subcategorias definidas, devem ser cadastrados em ‘empresas e fornecedores’.

Coletivos e demais organizações, representativas ou não, também estão contempladas em categoria própria. O mesmo acontecendo para os festivais e as casas de shows.

Não perca tempo, acesse e se cadastre, contribuindo assim para o fortalecimento da música feita em Sergipe.

O Catálogo da Música de Sergipe tem o apoio da FAPITEC/SE, através do Edital No. 13/2011, de Políticas Públicas.Diretório _ Economia Política da Música

Cadastro para o Catálogo da Música de Sergipe já está disponível

A partir de hoje, 30 de janeiro, os artistas, profissionais, empresas e demais envolvidos na produção, distribuição e comercialização da música no estado poderão realizar o auto cadastro, para integrar o Catálogo da Música de Sergipe, em sua versão on line. Para tanto, basta acessar o Portal da pesquisa “Economia Política da Música em Sergipe” (www.obscom.com.br/musica), e seguir as indicações.

O Catálogo da Música de Sergipe, em sua versão on line, é uma plataforma para auto cadastro de agentes da cadeia produtiva do estado, organizada em sete categorias: artistas (solo/banda); Grupos e Organizações; empresas e fornecedores; escolas e profissionais de ensino; festivais e casas de show; produtores; e profissionais e técnicos. Constitui-se ademais em banco de dados para a versão impressa, a ser publicada, em primeira edição, no segundo semestre de 2013.