Mais uma edição do Seminário OBSCOM/CEPOS acontece na UFS

por Irla Rocha

Durante os dias 22 e 23 de outubro o Observatório de Economia e Comunicação da Universidade Federal de Sergipe – OBSCOM/UFS, realizou o XIV Seminário OBSCOM/CEPOS no auditório da ADUFS (Associação dos docentes da Universidade Federal de Sergipe).

As mesas e palestras do seminário versaram em torno do tema “Comunicação e Marxismo” que além de discutir o papel no campo da comunicação da Economia Política da Comunicação e da Cultura (EPC), também proporcionaram uma troca de experiências e leituras sobre Economia Política, Epistemologia da Comunicação, Práxis, Cultura, Criatividade, Comunicação e Trabalho.

Entre os presentes estiveram pesquisadores do Brasil e de outros países da América do Sul, entre eles: Erik Torrico (Bolívia), César Bolaño (UFS), Cesare Galvan (Centro Josué de Castro), Ruy Sardinha Lopes (USP), Alain Herscovici (UFES), Ángel Páez (Venezuela), Maurício Herrera (Colômbia) e Verlane Aragão (UFS).

Sessões de comunicações

Uma das grandes surpresas desta edição do Seminário Obscom/UFS foi a grande participação de pesquisadores com envio de resumos expandidos. Foram realizadas quatro sessões de comunicação na tarde de sexta, 23, que colocaram em debate: cultura, comunicação, cinema, televisão, políticas públicas entre outros mercados.

Em breve estarão disponíveis no site do OBSCOM os resumos aceitos para as comunicações. É importante pontuar que os trabalhos apresentados são resultantes de projetos de pesquisa em andamento ou concluídos (teses, dissertações, monografias, entre outros) no seminário.

Biblioteca Prof Valério Brittos no PPGCOM/UFS

Entre a intensa programação acadêmica do Seminário, a inauguração da “Biblioteca Setorial Prof. Dr. Valério Cruz Brittos” foi um dos momentos mais marcantes do Seminário.

Grande pesquisador da comunicação e, principalmente, da Economia Política da Comunicação e da Cultura, o professor Dr. Valério Brittos foi homenageado pelo Obscom e Programa de Pós-Graduação em Comunicação (UFS) como o nome da biblioteca. Nela estão disponíveis para consulta e pesquisa o acervo pessoal do professor e grande parte da sua obra acadêmica.

A biblioteca ainda encontra-se em fase de catalogação do acervo, no entanto a data do seminário é significativa para esta homenagem, uma vez que a troca de experiências entre o professor Valério Brittos e seu grupo de pesquisa – CEPOS (Comunicação, Economia e Sociedade) e o OBSCOM eram constantes.

Lançamento de publicações

Durante o XIV Seminário OBSCOM foram lançados os recentes trabalhos do professor Dr. César Bolaño São eles: Campo aberto: para uma crítica da epistemologia da comunicação (EDISE), O conceito de cultura em Celso Furtado (EDUFBA) e Cultura e Desenvolvimento: Reflexões à luz de Furtado (EDUFBA).

Ainda entre os lançamentos temos o E-book com a compilação dos trabalhos apresentados no XIII Seminário OBSCOM/CEPOS e I Fórum Regional Alaic Cone Sul sob organização de Verlane Aragão, Joanne Mota e Bruna Távora. Leia o E-book: http://www.youblisher.com/p/1247615-Ebook-OBSCOM-2015/.

Pesquisa sobre Economia da Música em Sergipe, do OBSCOM, é publicada em livro da FAPITEC/SE

por Irla Rocha

Fruto do trabalho desenvolvido pelo Observatório da Economia e da Comunicação (OBSCOM), a pesquisa sobre Economia da Música conquista mais um espaço acadêmico: a publicação do artigo “Economia Política da Música em Sergipe: trabalho, tecnologia e mercado” no primeiro livro da série Documentos – Pesquisa em Políticas Públicas no Estado de Sergipe, editado pela Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado (FAPITEC/SE) no final do ano passado, 2014.

A pesquisa detalhada no artigo

A pesquisa “Economia Política da Música em Sergipe: trabalho, tecnologia e mercado” faz parte das atividades do Observatório de Economia e Comunicação da Universidade Federal de Sergipe (OBSCOM/UFS). O artigo em questão apresenta os resultados gerais do estudo desenvolvido entre 2010 e 2013, através de bolsas de Iniciação Científica (PIBIC) da Universidade Federal de Sergipe, e do Edital FAPITEC/SE/FUNTEC No. 13/2011, de Políticas Públicas.

Além do intuito de trazer à baila as informações relativas à pesquisa desenvolvida, o texto ganha vida devido o seu posicionamento crítico sobre os artistas e as políticas públicas envolvidas na cadeia produtiva da música. Longe do discurso falacioso da democratização proporcionada pela digitalização da música, o artigo propõe uma reflexão sobre o mercado da música em Sergipe pelo viés da Economia da Cultura, Economia da Música e da Economia Política da Comunicação e da Cultura. Os dados sobre a evolução da indústria da música fonográfica no mundo e no Brasil vêm a corroborar para uma compreensão da música feita em Sergipe e as suas relações com as dinâmicas do mercado da música no país.

Um dos pontos altos do artigo está na rica introdução que parte do debate amplo sobre a música na perspectiva da Economia Política da Música que prepara o terreno para a recepção do leitor sobre os materiais e métodos utilizados durante a execução e o resultado da pesquisa. Será nestas sessões, respectivamente, que teremos um mapa de como foi realizada a pesquisa, dados coletados através de entrevistas e aplicação de questionários, e uma discussão crítica a partir da cadeia produtiva da música como instrumento analítico, que traçaram com profundidade o perfil do artista sergipano. Entre os resultados marcantes temos:

  • A elaboração do Catálogo da Música de Sergipe (2013), que apresenta dados sistematizados e consolidados pela pesquisa, registrando 403 agentes da cadeia produtiva da música do estado;
  • Indústrias de instrumentos musicais e de equipamentos de som e gravação são pontos frágeis da cadeia;
  • Inexistência de canais de financiamento, com crédito específico para a área musical, disponíveis para os artistas;
  • A presença do curso de Música, da UFS, corrobora positivamente para uma mudança qualitativa;
  • Uma pungente e diversificada produção autoral;
  • Ainda que as tecnologias digitais facilitem o processo fonográfico e a internet ajude na divulgação do conteúdo musical, as principais vias para que essa música chegue ao público estão dominadas pelo poder público, pelos meios de comunicação de massa tradicionais e pelos grandes produtores locais;
  • Cerca de 2/3 dos artistas que responderam ao questionário possuem CD que funciona como material de divulgação do seu trabalho. Contudo, destes apenas 10% foram lançados por selos ou gravadoras, caracterizando uma produção autoral de 69%;
  • Apesar de a maioria dos artistas sergipanos estarem na internet, não apresentam um registro de obtenção de renda pelas faixas na rede mundial de computadores;
  • Boa parte dos artistas assume a prerrogativa de produção, articulando e negociando shows e cachês;
  • Poucos fazem uso dos editais públicos para participação em show;
  • Demonstraram certa dispersão, pois mais de 70% responderam não terem vinculação a entidade de fóruns, coletivos ou afins;
  • O show constitui-se como a principal fonte de receita dos artistas.

O livro

De acordo com a FAPITEC, o livro reúne uma coletânea de artigos que versam sobre os resultados dos 22 projetos contratados pelos primeiro edital 13/2011 do Programa de Apoio e Desenvolvimento de Políticas Públicas em Sergipe (NAPs). Tais editais resultaram num investimento em R$ 581.665,39 e em 32 bolsas de Inovação e Tecnologia (PIBITI).

O texto de apresentação da obra afirma que a publicação destina-se a divulgar e disseminar os resultados obtidos, e possibilitar o aprimoramento da formulação de políticas públicas pela administração estadual, ressaltando a importância da ciência para o desenvolvimento de Sergipe.

20150515_114639

 

Resultados de pesquisa sobre a cadeia produtiva da música são apresentados

Na semana de 18 a 22 de novembro a FAPITEC/SE promove o Seminário de Avaliação Final dos projetos aprovados no Edital no. 13/2011 de Políticas Públicas.

O seminário acontece na Sociedade SEMEAR e na tarde do dia 20 estarão em realce os projetos vinculados ao Núcleo de Análises e Pesquisa da Secretaria de Estado da Cultura (NAPEC).

Confira a programação:

PROGRAMA DE APOIO E DESENVOLVIMENTO DE POLÍTICAS PÚBLICAS PARA O ESTADO DE SERGIPE

SEMINÁRIO DE AVALIAÇÃO FINAL

EDITAL Nº 13/2011 – NAP’s

Data: 20 de novembro de 2013

Local: Auditório da Sociedade SEMEAR

(Rua Vila Cristina, 148, Bairro São José, Aracaju/Se)

14h00 às 14h30 – Projeto “Quilombolas: aratu, história e cultura no interior do Sergipe”.

Coordenador: Dinamara Garcia Fedens

14h30 às 14h40 – AVALIAÇÃO/QUESTIONAMENTOS

14h40 às 15h10 – Projeto “A musealização do patrimônio arqueológico em Sergipe: um estudo sobre endosso institucional e gestão de acervos coletados (1970-2010)”.

Coordenador: Elizabete de Castro Mendonça

15h10 às 15h20 – AVALIAÇÃO/QUESTIONAMENTOS

15h20 às 15h50 – Projeto “Rede Integrada de Pontos de Cultura de Sergipe”.

Coordenador: Manuela Ramos da Silva

15h50 às 16h00 – AVALIAÇÃO/QUESTIONAMENTOS

16h00 às 16h30 – Projeto “Cooperação descentralizada na grande Aracaju”.

Coordenador: Tereza Cristina Nascimento França

16h30 às 16h40 – AVALIAÇÃO/QUESTIONAMENTOS

16h40 às 17h10 – Projeto “Economia Política da Música em Sergipe: trabalho, tecnologia e mercado”.

Coordenador: Verlane Aragão Santos

17h10 às 17h20 – AVALIAÇÃO/QUESTIONAMENTOS

17h20 às 17h50 – DEBATES

17h50 – ENCERRAMENTO

O QUE É O PROGRAMA NAP

O programa é fruto da parceria entre a FAPITEC/SE e as Secretarias de Estado. É uma oportunidade relevante de atuação em conjunto no sentido de proporcionar a análise, formulação e implementação de políticas públicas que venham atender às demandas sociais e institucionais.

Esperam-se especialmente dos NAPs a identificação, elaboração e formulação de demandas, adequadas em linhas temáticas de cunho estratégico ao Estado, as quais possam através do desenvolvimento de projetos de C,T&I serem objetos de estudo e pesquisa, cujos resultados esclareçam e contribuam para solução dos problemas. Além disso, os NAPs representam uma importante instancia de acompanhamento durante o processo de seleção dos projetos e de monitoramento e absorção dos resultados.

OBJETIVOS DO SEMINÁRIO

Apresentar à sociedade sergipana os resultados dos projetos que visam subsidiar a formulação, a avaliação e a orientação de políticas públicas, em linhas temáticas específicas de interesse prioritário para entidades da Administração Pública Estadual;

Avaliar os resultados finais dos projetos de pesquisas fomentados com recursos do Edital FAPITEC/SE/FUNTEC N° 13/2011 – NAP’s;

Sensibilizar as entidades da administração pública estadual e colher subsídios para a estruturação do Programa no Estado de Sergipe.

PÚBLICO-ALVO

Gestores e técnicos das Secretarias Estaduais e Municipais;

Professores, pesquisadores e estudantes;

Representantes das Instituições de Ensino e Pesquisa;

Sociedade em geral.

Catálogo é distribuído no estado e nacionalmente

O Catálogo da Música de Sergipe 2013, lançado em setembro, está sendo distribuído pelo OBSCOM, em parceria com a SECULT e o SESC. A Secretaria de Estado da Cultura comprometeu-se em fazer a entrega de exemplares do catálogo nos municípios sergipanos, junto às suas secretarias e/ou fundações de cultura. Segundo Orlando Júnior, Coordenador de Música e Audiovisual, a distribuição também se estenderá às secretarias de cultura das capitais de todos os estados brasileiros. O SESC já promoveu, por sua vez, o envio para suas unidades de cultura no estado. Fábio Oliveira (Técnico em Música do SESC) informou que ainda este mês o Catálogo será entregue no Departamento Nacional no Rio de Janeiro.

Até o momento, já foram entregues exemplares no Instituto Banese, permitindo que o material esteja disponível para turistas e visitantes do Museu da Gente Sergipana; como também na FUNCAJU, no total de dez unidades, e em casas de show de Aracaju.

O Catálogo da Música de Sergipe 2013 está disponível para download, http://obscom.com.br/musica/wp-content/uploads/2013/10/catalogo-da-musica-de-sergipe-2013.pdf, e a plataforma on line já voltou a receber novos cadastros.

Ver também: http://obscom.com.br/musica/2013/10/29/o-catalogo-on-line-volta-a-receber-novos-cadastros/.

O Catálogo on line volta a receber novos cadastros

A plataforma on line do Catálogo da Música de Sergipe já está liberada para receber novos cadastros, como também para a atualização por aqueles que já estão cadastrados.

A novidade é que poderão também se cadastrar Engenheiros de Som, Jornalistas, Produtores Musicais e Técnicos de Gravação, na categoria “Profissionais e Técnicos”. Foi incluído também, para aquelas empresas que atuam nas duas áreas, o ramo ‘Estúdios de Ensaio e Gravação’, na categoria “Empresas e Fornecedores”.

Todos que se cadastrarem comporão de imediato o Catálogo on line e figurarão na futura versão impressa.

A edição 2013 já está disponível para download no Portal EPM, no link Publicações, http://obscom.com.br/musica/wp-content/uploads/2013/10/catalogo-da-musica-de-sergipe-2013.pdf.

Novos cadastros no Catálogo da Música de Sergipe

Após o lançamento do Catálogo da Música de Sergipe 2013, no último dia 18 de setembro, no Museu da Gente Sergipana, a plataforma on line continuará recebendo novos cadastros, que integrarão de imediato a versão virtual do catálogo.

O acesso encontra-se temporariamente suspenso, em virtude de ajustes que visam adequar os parâmetros e mecanismos de preenchimento e busca de informações dos agentes cadastrados.

Brevemente, o serviço estará disponível, como também o arquivo da versão impressa – o Catálogo da Música de Sergipe 2013 -, para consulta e download.

Será possível ademais, aos já cadastrados, realizar alterações e atualizações em seus perfis.